DOR-1

Procedimentos mini-invasivos para alívio da dor de coluna

Quem sofre com dores originadas de problemas na coluna vertebral ou dores neuropáticas em geral, sabe o quanto isso é incômodo e, muitas vezes, limitante – a ponto, até mesmo, de impossibilitar o início de de um programa de reabilitação. Alguns procedimentos minimamente invasivos podem trazer alívio imediato e melhoria prolongada para permitir mudanças efetivas na qualidade de vida desses pacientes.

Quando a pessoa já não consegue mais viver sem analgésicos ou quando a medicação oral já não é mais capaz de deixar esse paciente funcional, esses são importantes sinais de que é preciso repensar a abordagem terapêutica. Bloqueios, infiltrações e radiofrequência são algumas condutas que podemos (e devemos) considerar nesses casos.

Mesmo quando há indicação cirúrgica, sempre que possível, devemos considerar os procedimentos por endoscopia(que são minimamente invasivos).

Não é raro encontrarmos pacientes com quadros tão dolorosos a ponto de nem sequer conseguirem iniciar a Fisioterapia, o trabalho de Reeducação Postural Global (RPG) ou qualquer outra atividade física – que costumam ser essenciais nos planos de tratamento dos problemas de coluna e dos quadros osteomusculares, em geral. Propiciarmos o alívio dessa dor o mais rápido possível é, então, a prioridade máxima.

Esse costuma ser um ponto de viragem na vida dessas pessoas. A partir do momento em que lhes damos condições de se verem novamente ativas, podendo realizar as adaptações necessárias em suas rotinas para dar sequência ao seus tratamentos, oferecemos também condições para a retomada da produtividade no trabalho, de grande parte das atividades do dia a dia e até da vida social – áreas que costumam ser diretamente afetadas quando a pessoa enfrenta um quadro de dor crônica.

Livre das limitações da dor, motivada e confiante em si mesmo, o paciente tem chances muito maiores de ter um tratamento bem-sucedido.

PREVENÇÃO

Como médicos, precisamos insistir que grande parte dos problemas de coluna e problemas osteomusculares em geral pode ser prevenida. A prática de atividade física bem orientada, assim como uma observação atenta para as posturas e condições ergonômicas nas atividades cotidianas, são fundamentais. Da mesma forma, procurar ajuda especializada, assim que os primeiros sinais aparecem, favorece um diagnóstico precoce e os tratamentos menos invasivos.

Mas, mesmo quando as patologias já estão instaladas, seja qual for a causa, as cirurgias convencionais hoje em dia só são indicadas em último caso. Priorizamos sempre as terapias de reabilitação e, quando é o caso, os procedimentos mini-invasivos.

AGENDE A SUA AVALIAÇÃO

CONHEÇA ALGUNS PROCEDIMENTOS MINI-INVASIVOS

– Bloqueios e infiltrações: o bloqueio consiste na injecção de medicações (anestésicos e/ou corticóides) para alívio da dor. É um procedimento bastante direcionado, quando precisamos trabalhar uma estrutura bem específica, como no caso de uma raiz nervosa que se encontra comprimida. As infiltrações também consistem na injeção de fármacos para o alívio do quadro doloroso, mas, nesse caso, trabalhamos uma região mais ampla, como facetas lombares, articulações etc. Muitas vezes, os dois termos (boqueio e infiltração) são usados como sinônimos, mas há essa pequena diferença.

– Radiofrequencia: é uma técnica que visa diminuir e/ou retirar a sensibilidade dolorosa de uma região doente. Isso é feito por meio do que chamamos de modulação ou “lesão” neurológica na região, de forma a atingir o objetivo desejado.

– Cirurgias endoscópicas: várias patologias que atingem a coluna vertebral podem ter como alternativa o tratamento através de processo cirúrgico mini-invasivo. A intervenção local é feita por meio do endoscópio, um aparelho que permite acesso com visão privilegiada à região a ser trabalhada, apenas com uma pequena incisão. A indicação para esse tipo de cirurgia irá depender de fatores como: a natureza do problema, as respostas do paciente aos demais tratamentos e as chances de eliminação/correção do problema original a partir desse procedimento.

ALGUNS QUADROS CANDIDATOS A PROCEDIMENTOS MÍNI-INVASIVOS

– Dores “de coluna”, em geral;
– Dor lombar crônica secundaria à doença das facetas;
– Dor ciática (irradia da coluna para membro inferior);
– Fibromialgia;
– Dor de ombro (supraescapular)
– Dor de joelho.

O primeiro passo para um tratamento eficiente da dor crônica é a identificação da CAUSA da dor. Somente com o diagnóstico em mãos e todo o histórico clínico do paciente é que podemos indicar qual o procedimento mais adequado e viável para cada caso.

Dr. Luiz Rodrigo Marinho,
Neurocirurgião

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp