Portrait of stressed young housewife in modern kitchen; Shutterstock ID 142814494; PO: 100 47953; Job: Shutterstock; Other: Public Affairs

Enxaqueca x tumor cerebral: a importância de uma atenta investigação diagnóstica

Falar sobre os sintomas de tumores cerebrais e incentivar a procura de auxílio médico, a fim de permitir um diagnóstico precoce, é algo muito importante. Mas existe um ponto que também precisa ser enfatizado, para tranquilizar grande parte das pessoas: dificilmente um tumor intracraniano terá como sintoma único a ocorrência de intensas e insuportáveis dores de cabeça.

enxaqueca e a cefaleia tensional atingem parcelas enormes da população e têm como grande característica as crises de dor intensa e mal-estar. São sintomas que costumam deixar os pacientes muito assustados e não é raro que o medo da presença de um tumor persista, até mesmo depois de realizados exames que descartam essa possibilidade.

Embora a cefaleia seja um sintoma oncológico importante, que deve ser investigado, uma característica dessa dor quando ela está relacionada à presença de um tumor cerebral é poder vir acompanhada de outros sintomas neurológicos. Convulsões, vômitos, alterações de consciência, síncopes ou fraquezas em algum dos membros são algumas das situações comumente associadas, além de outros sintomas, como alterações visuais e fisiológicas.

Então, repetindo: poucos pacientes com tumor cerebral apresentam dor de cabeça como sintoma único – e, quando isso ocorre, costuma ser restrito às fases iniciais, pois, em poucos meses, a maioria acaba por desenvolver algum outro sintoma associado.

Entretanto, as manifestações clínicas do tumor cerebral dependem do tamanho, da velocidade de crescimento e da sua localização dentro do cérebro. Algumas vezes, os sintomas podem, sim, ser semelhante aos de outros quadros. Daí a grande importância da avaliação médica!

Receber o diagnóstico de um quadro que não pode ser comprovado em um exame de imagem ou em algum tipo de marcador, como no caso da enxaqueca ou da cefaleia tensional, muitas vezes é algo angustiante e até inaceitável para o paciente. Afinal, uma pessoa que convive com episódios recorrentes de dor, certamente se sentiria mais confortável se conseguisse saber exatamente “onde está o problema”.

Mas é muito importante que o paciente que já passou pela devida investigação diagnóstica, que já fez todos os exames (como tomografia e ressonância) e que foi diagnosticado com enxaqueca ou cefaleia tensional, por exemplo, aceite investir seus esforços nos tratamentos de controle dessas patologias. Por serem quadros crônicos, esses são tratamentos de longo prazo, que envolvem não só a prescrição de medicamentos, como algumas mudanças de hábitos e estilo de vida.

Diante dessas situações, cabe-nos, como médicos, explicar que as disfunções ocorrem nos níveis neurotransmissores e que, pelo menos até este momento, realmente não temos exames que consigam apontar essas situações e que, por isso, o diagnóstico é feito por meio da observação atenta do histórico das crises e da exclusão de outros problemas, a partir dos exames de imagem.

Cabe-nos, principalmente, tranquilizar essas pessoas, lembrando sempre que a presença de um tumor ou de uma lesão cerebral identificável em um exame de imagem é sempre algo mais complexo e com maiores riscos. A ausência de massa tumoral ou lesão é sempre uma boa notícia, embora isso, muitas vezes, seja só o começo da investigação das causas da cefaleia e de um longo e desafiador tratamento.

Dr. Luiz Rodrigo Marinho,
Neurocirurgião

ALGUNS SINAIS DE ALERTA NAS CEFALEIAS ORIGINADAS POR TUMOR CEREBRAL

– Mudanças no padrão habitual da sua dor de cabeça;
– Agravamento da dor de cabeça com mudanças de posição do corpo, tal como se curvar ou abaixar a cabeça, ou com manobras que elevam a pressão intratorácica, tais como tossir ou espirrar (esse agravamento também pode ocorrer em outras cefaleias, como nas provocadas por sinusites);
– Dor de cabeça bem localizada em uma região do crânio (mais uma vez, essa característica pode estar presente em outras formas de dor de cabeça).
– Dores de cabeça que se agravam à noite e são capazes de despertar o paciente durante o sono.

OUTROS SINTOMAS QUE PODEM SURGIR ASSOCIADOS

– Náuseas e vômitos (presente em cerca de 40% dos pacientes com tumor, mas também muito comum em pessoas com enxaqueca);
– Distúrbi ou mesmo perda de visão (dissociados de problemas nas vistas);
– Perda de força em um ou mais membros;
– Micção frequente ou urgente
– Disfunção sexual
– Perda ou ganho de peso não intencional
– Alterações do crescimento
– Sudorese excessiva
– Altos níveis de açúcar no sangue
– Problemas cardíacos
– Dores nas articulações
– Aumento de pelos no corpo

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp